Comidas

Mandioca

Gosto de pensar que a mandioca é a mãe no Brasil.

Plantada em todo território brasileiro por ser de fácil cultivo e produção, e cresce bem em solos mais áridos.

A mandioca faz parte da cultura alimentar do brasileiro de norte a sul. Escondidinho de carne seca do nordeste, maniçoba do Pará, vaca atolada dos caipiras vale paraibanos e do sul de Minas, esse tubérculo encanta nosso paladar. Saborosa com sal, com mel, com melaço ou açúcar. Frita, cozida, assada ou como purê. Como amido no bolo, no biscoito de polvilho, no pão de queijo, na tapioca e no cuscuz baiano. Como farinha é grande companheira de outros tantos pratos deliciosos da nossa culinária: feijoada, tutu de feijão e as farofas com bacon, legumes, linguiças e vegetarianas com muitos legumes e um toque de limão. Vamos combinar que a vida é muito mais saborosa com a mandioca?!

 

De muitos nomes: aipim, mandioca, maniva e macaxeira. A base da alimentação indígena resistindo às gerações, passando por nossos avós até à comida contemporânea dos grandes chefs.

Tenho relatos de uma receita feita com mandioca fermentada no sul do país de uma espécie de bolo-pão chamado “mandipuva”, com massa muito firme e densa, comida substanciosa pra matar a fome. “Pão da vida”, assim chamado por uma senhorinha de Monteiro, pois em tempos difíceis, a mandioca era tudo que sua família tinha para se alimentar.

Em histórias antigas, o termo “descascar aipim” é desnudar a perna. “Viver nas macaxeiras” é levar vida folgada, como descreve essa antiga trova:

 

“Minha gente venha ver

A vidinha do preá.

Metido nas macaxeiras,

Comendo sem trabalhar!”

 

A mandioca também vira bebida, alimento líquido, como Hans Staden registrou um dia sobre a sua relação com índios brasileiros:

“As mulheres é que fazem as bebidas, tomam as raízes da mandioca que deitam a ferver em potes, e quando bem fervidas, tiram-na e passam para outros potes onde esfriam um pouco. Então as moças se assentam e mastigam estas raízes. Uma vez mastigadas todas estas raízes fervidas, tornam a por a massa mascada nos potes que então enchem d’água e misturam muito bem, deixando tudo ferver novamente. Depois colocam em vasilhas especiais que estão enterradas até o meio, como se fossem nossos tonéis para vinho e cerveja, bem tampados. A bebida fermenta e fica forte. Ficam assim durante dois dias e depois a bebem e ficam bêbados”

 

Em outras regiões há variações desta bebida e ritual, e ganham nome de “Caiçúma” ou “Massato”.

Depois de falar tudo isso sobre a mandioca, deu vontade de comer?

Minha receita preferida de mandioca é bem simples e fica perfeita naqueles dias quentes e ensolarados, acompanhando uma bela cerveja gelada. É super prática de fazer. Confira:

 

mandioca

Ingredientes:

 

½ kg de mandioca

01 cebola picada em julienne

2 dentes de alho

Azeite

100 gr. de queijo parmesão

½ vidro de azeitonas verdes sem caroço picadas

Sal e pimenta do reino a gosto

 

Modo de fazer:

 

  1. Numa panela, coloque a mandioca com água até cobrir e cozinhe até que ela fique macia, mas ainda firme.
  2. Numa frigideira, refogue 2 dentes de alho picado com a cebola no azeite.
  3. Junte a mandioca cozida, coloque sal e pimenta do reino a gosto.
  4. Quando a cebola estiver transparente, apague o fogo, coloque as azeitonas e por último o parmesão ralado, e bom apetite!

 

 

mandioca

 

Referências: 
História da Alimentação Brasileira – Camara Cascudo – Editora Global

O milho e a mandioca nas cozinhas brasileiras – Maria Thereza Lemos de Arruda Camargo – Cadernos de Folclore – volume 18

 

food lover

 

 

Confira outras receitas especiais +

 

Deixe um comentário

Comments are closed.