Bebidas

CERVEJEIRO DE PANELA

Preparamos essa matéria especial explicando o que é Cervejeiro de Panela

Quem diria que nos dias de hoje a bebida dos deuses egípcios poderia ser feita em casa e em panelas? Assim começa a história do Cervejeiro Caseiro. Um indivíduo que faz da fabricação de cerveja de maneira artesanal muito mais que um hobby. Fazer sua própria cerveja não é apenas um passatempo e uma atividade prazerosa, o envolvimento é tão grande que chega a ser um estilo de vida.

Quem é essa pessoa? São homens ou mulheres apaixonados por cervejas artesanais, mas que não se contentaram em apenas apreciar a bebida, foram além e inventam de fazê-la. O prazer em tirar da cevada maltada, da água, do lúpulo e da levedura aquele líquido inebriante é imensurável. E assim começa a saga.

Mas como fazer? Quando pensamos em fabricação de cerveja, a imagem que nos vem é de fábricas gigantescas com tanques que armazenam milhões de litros e que empreendem sofisticada tecnologia para alcançar o produto final. Não! Isso não pode ser feito em casa! Assim que a maioria de nós pensa.

Pois bem, o cervejeiro de panela, também conhecido por cervejeiro caseiro, contradiz a impressão geral e faz cerveja em casa e em panelas.

Vai ao fogo uma panela com água e o malte de cevada, ocasionalmente outros grãos e adjuntos são usados dependendo do estilo da cerveja que se quer fazer. Essa mistura é submetida a temperaturas que vão de 40ºC a quase 80ºC, e nessa fase há a necessidade de que a mistura seja constantemente mexida. Após cerca de 60 minutos, essa mistura é filtrada e encaminhada à outra panela para ferver por cerca de 1 hora. Nessa fase, acrescentamos o lúpulo. Após o tempo requerido, inicia-se o processo de resfriamento que deve ser o mais rápido possível. O ideal é levar o líquido a 25ºC e transferi-lo para outro recipiente que muitas vezes é um balde alimentício. Agora podemos inocular a levedura Saccharomyces cerevisiae, também chamada de fermento.

Todo esse processo tem o objetivo de extrair do grão o amido que ele contém, e ao mesmo tempo converter esse amido, através das enzimas que já existem nos grãos, em açúcares fermentáveis. Já na fase da fermentação que inicia após a inoculação do fermento, a levedura ao alimentar-se do açúcar, gera o álcool.

A primeira fase do processo, aquela em que a mistura é aquecida, chamamos de “mosturação” ou “brasagem”. O trabalho é tão manual e demorado que o nome poderia ser “braçagem”. Ao todo, cerca de 6 horas são necessárias. E pensa que agora é só beber? Nada disso! Ainda se vão cerca de 7 dias de fermentação, 15 de maturação e mais 7 dias já engarrafadas com um pouquinho de açúcar (6 gramas por litro) para gerar o CO2 e então chegar à esperada “carbonatação”.

E a pergunta que não quer calar: se é tão difícil e demorado, por que fazer ao invés de comprar? E a resposta quase sempre é: nem eu mesmo sei explicar, mas faça uma vez e irá continuar!

A possibilidade de fazer diversos estilos, a oportunidade de incluir frutas, condimentos, especiarias, o acompanhamento do dia a dia, a apreciação dos aromas, a condição de interferir no processo e criar a cerveja que você gosta e do jeito que você quer é apaixonante. Quero-a no estilo tal. Faço! Quero-a mais amarga. Lá vai lúpulo! Quero-a mais encorpada. Coloco mais malte! Gosto da escura. Uso malte torrado!

Quero cerveja especial. Faço artesanal! Na minha casa e na minha panela. De quebra, ainda tenho prazer em fazer. Tem coisa melhor do que fazer o que gosta? Só mesmo beber!

 

Um brinde aos cervejeiros caseiros.

 

Food Lover Vandré Borges

 

 

Confira deliciosas receitas +

 

Deixe um comentário