Receitas

Caldo de mocotó

Hoje o papo é caldo de mocotó. Conhece? Adora? Vamos saber mais sobre esse preparo:

 

Com uma cirurgia dentária a vista, decidi colocar a organização em prática e preparar comidas saborosas, fáceis de engolir e que não exigem muita mastigação, mas realmente nutritivas. Para isso, eu recorri a uma receita que muitas vezes é negligenciada por todos nós: o mocotó.

 

A história do mocotó

 

O mocotó não tem uma história glamourosa por trás. O que se sabe é que veio da época dos escravos do Rio Grande do Sul, que comiam as partes do boi que eram desprezadas pelos seus senhores. 

 

Traduzido mocotó, significa “mão de vaca”, aquele que aproveita tudo. O mocotó é um prato muito barato e extremamente rico em nutrientes e gorduras boas. No meu caso eu paguei R$ 4,00 o quilo. 

É possível, também, encontrar alguns botecos pelo Brasil afora que servem o caldo de mocotó numa xícara ou cumbuca pequena. 

 

Receita de um bom prato de mocotó…

 

 

Ingredientes:

1 quilo de mocotó

Temperos (louro, sal, pimentas e ervas a gosto)

 

 

Modo de preparo:

Para começar vá a um açougue e peça um quilo de mocotó. Lembre-se de pedir para o açougueiro cortar a peça em pedaços pequenos. Isso é muito importante, caso contrário, você vai precisar de uma serra elétrica para cortar todo esse osso e fazer caber na panela.

 

Dependendo do local que você comprar, a peça não vem totalmente limpa. Escolha bem o local ou prepare-se para ter de limpar você mesmo (o que pode ser um pouco decepcionante).

 

O segundo passo é colocar os pedaços de mocotó em uma panela de pressão com água fervente. Tente colocar no máximo um quilo de cada vez, dessa forma não sobrecarrega a sua panela, ok?

 

Coloque na pressão e deixe de 15 a 30 minutos. Após esse tempo, desligue e espere sair a pressão da panela. Descarte totalmente essa água do mocotó. Esse processo é importante para que você retire o excesso de gordura e limpe bem a peça. Lembre-se que o mocotó é uma parte da pata do animal, então merece uma boa limpeza.

 

Coloque mais água na panela e deixe ferver. Coloque então o mocotó novamente na panela e deixe-o em pressão por aproximadamente 40 minutos. A quantidade de água é a suficiente para cobrir o mocotó.

 

Resfrie a panela e verifique se o mocotó amoleceu um pouco e se a cartilagem está solta do osso. Nesse momento você pode acrescentar os temperos, ajustar a água, caso precise, e voltar mais um tempo na pressão. No meu caso, eu deixei mais 40 minutos. 

 

Sim, o mocotó é bem duro e merece ficar molinho para facilitar a ingestão.

 

Depois desse segundo tempo de cozimento na pressão, abra a panela e verifique se o sal e temperos são suficientes.

 

Finalize com ervas frescas do tipo salsinha, coentro ou cebolinha e pode servir.

 

 

Observação

 

A ideia aqui é tomar o caldo e literalmente chupar o osso do mocotó, que é onde você vai encontrar o tutano.

 

Caso queira encorpar o caldo do mocotó, você pode adicionar o feijão branco. Lembre-se de deixar o feijão de molho por um tempo (eu gosto de deixar por pelo menos 12 horas), e cozinhe o feijão separadamente, depois acrescente após o segundo cozimento da pressão. Algumas pessoas gostam de acrescentar linguiça, fazendo do mocotó uma verdadeira feijoada branca. 

 

Bom apetite!

 

Food Lover Almerissa Barduzzi

 

Confira dicas e receitas de bebidas ++ 

 

 

Deixe um comentário